sexta-feira, 29 de abril de 2011

Temporal

Alguém já viu nas notícias o temporal que passou aqui pelos lados de Lisboa?
É surreal! Estou absolutamente embasbacada com isto!

Estamos no fim de Abril, Senhor São Pedro...
Uma das zonas mais afectadas foi a de Benfica
Tenho duas palavras:

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS

Ah pois, achavam que só os pobres coitados dos ursos polares é que sofriam, não é?

ass:Rita

THE Perfect Dress

Ai daqui a uns bons aninhos também quero um vestido destes ...


Adorei o vestido :) Adorei mesmo :)
ass:Rita

quinta-feira, 21 de abril de 2011

11 Filmes a Ver!

Esta é uma lista dos 10 filmes que mais vos aconselho a ver.
Alguns são absolutamente fabulosos e é imperativo vê-los pelo menos uma vez na vida, outros já viram de certeza, outros são simplesmente os gostos de uma rapariga adolescente.

Número 11
Red Riding Hood - A Rapariga do Capuz Vermelho


Vi este filme esta semana e tenho a dizer que é um bom filme. Não é um "must watch" mas é sem dúvida um filme bom de se ver. Um tom mais assustador da história do Capuchinho Vermelho e do lobo mau.

Número 10
Black Swan - O Cisne Negro


Mais uma vez um filme que gostei imenso. Se o veria todos os dias vezes sem conta? Nem por isso, mas ainda bem que o vi, pelo menos uma vez, porque adorei.

Número 9
My Sisters Keeper - Para a Minha Irmã

Lindo! É daqueles filmes que toda a gente deveria ver. Do tipo de filme que faz chorar baba e ranho e que nos dá uma percepção magnífica da vida e da sua efemeridade. Os actores são fabulosos e têm um desempenho de tal modo grandioso que fazem com que acreditemos que é realidade, porque a verdade é que é realidade para muita gente.

Número 8
Good Will Hunting - O Bom Rebelde

Este é do tipo que devem ver pelo menos uma vez na vida. Nem preciso de falar muito sobre este filme porque a grande maioria já deve conhecer.

Número 7
Sweeney Todd

Mas há alguma coisa a dizer? É o Tim Burton. O melhor génio do cinema (a meu ver). É o Johnny Depp. O o actor que é capaz de representar as mais lunáticas personagens do cinema. Está tudo dito. 

Número 6
Edward ScissorHands - Eduardo Mãos-de-Tesoura

Nem vou comentar se não nunca mais me calo. Dois nomes. Johnny Depp. Tim Burton.

Número 5
Sleepless In Seatle - Sintonia no Amor

Lindo. Maravilhoso. Romântico. Perfeito.
Não sei o que mais dizer. É um filme que tem de ser visto!

Número 4
Inception - A Origem

Este filme é um dos filmes recentes que mais me marcou. É de ritmo acelerado e quase não nos dá tempo de respirar. É o tipo de filme que eu adoro ver no cinema, que faz com que nem me lembre de pestanejar. Estrondoso. Obviamente um "must watch".

Número 3
City of Angels - A Cidade dos Anjos
Para além da banda sonora absolutamente estrondosa, da história de chorar por mais (literalmente) e do óptimo desempenho destes grandes actores, que mais há a dizer?
Perfeito.

Número 2
Sixth Sense - Sexto Sentido

Eu só me lembro de que, quando o filme chegou ao fim eram duas da manhã, e a minha mãe, que já o tinha visto, estava adormecida no sofá e acordou comigo a berrar: "NO WAY!!!!" "IMPOSSÍVEL!!!" Não há muitos filmes que me façam dizer isto, ou, pelo menos, da maneira mais efusiva possível. 

NÚMERO 1
Top Gun - Ases Indomáveis

Este filme tem tudo! TUDO! Tem acção, romance, drama, comédia (Tom Cruise como piloto irresistível).
Este é, sem dúvida, o filme que mais vos aconselho a ver (se é que ainda não virão).

Alguém tem um filme que eu tenha mesmo mesmo mesmo de ver?, Rita

EDIT: A pedido do meu pai que afirma que ainda não vi os melhores filmes. Vou acrescentando a lista ao longo do tempo :P 

quarta-feira, 20 de abril de 2011

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Chuva de Abril

Mas há algo que saiba tão bem como sentar-se na varanda a ver a chuva cair, a ouvir a trovoada e de T-shirt?
Ai ai... Não há nada melhor que as chuvas de Abril...
Perfeito :)
ass:Rita

Música da semana #19 (Atrasada)

Ultimamente as músicas da Semana aqui do cantinho andam atrasadas!
Deve ser das férias... Vêm mais devagar porque estão no relax :D



Digam lá se não apetece cantar? ass:Rita

Este post é um post adolescente...

Pois qualquer rapariga adolescente sabe o que é a SAGA TWILIGHT.
E eu faço parte do grupo das que gosta, que gosta muito :)
Por isso aqui vai a minha "One-Shot" Vencedora de uma fase de um concurso. Decidi partilhar, no caso de haver mais alguém que aprecie:
POV: Leah Clearwater
- Estou absolutamente farta disto, Jacob! – Gritei exasperada. – Não aguento mais! Não consigo! 
Dei um pontapé com toda a minha força numa árvore que estava ao meu lado e ela tremeu ligeiramente. A primavera ia já bastante avançada mas o frio não cessava. Estava novamente a chover e ambos tínhamos o cabelo e as roupas encharcados. Ele aproximou-se de mim e agarrou-me. Era fácil perceber o que pensava mesmo quando não estávamos transformados. Queria que me acalmasse antes que me pudesse transformar porque sabia que isso faria tudo aquilo bem pior. 
- Acalma-te Leah! Passares-te só vai fazer pior! 
Sabia que estava a chorar porque tinha os olhos a arder e porque as lágrimas eram muito mais quentes que as gotas da chuva, mas duvidava que ele reparasse. Tentei fazer-me de forte e não começar a soluçar descontroladamente à frente dele. 
- Já não me chegava ter de os ver todos amorosos à frente todos os dias agora também tenho de sentir o quanto ele a ama sempre que estamos transformados? – A minha voz era trémula mas não tanto como seria de esperar. – Não! Eu vou deixar a alcateia! Prefiro andar por aí sozinha, e assim não tenho de o ouvir! Por favor Jake, deixa-me ir! 
Ele estava com o peito nu encostado às minhas costas e eu conseguia sentir o seu coração bater apressadamente. Resisti durante um bocado e fico algo orgulhosa de dizer que ele ficou bastante cansado do esforço que foi necessário para me manter no lugar. Quando acabei por finalmente acalmar e deixei de lutar contra o seu abraço olhei em minha volta. Estava exactamente no mesmo sítio onde ele tinha vindo falar comigo, onde me explicou a natureza da nossa tribo e que acabou com a minha vida. 
***
-Leah, preciso de falar contigo… - Quando ouvi aquele tom soube de imediato no que aquilo haveria de acabar. E, bem, se não tivesse sido a reviravolta dos lobos eu teria conseguido prever cada uma das palavras que ele escolheu para quebrar o meu coração.
Ele aproximou-se calmamente de mim, algo que não fazia há já uns dias. Aproveitei para beijá-lo, algo que já não fazíamos à algum tempo (apenas mais um sinal de que algo estava terrivelmente mal), mas o beijo foi estranho. Desconfortável. Como se de repente os seus lábios tivessem mudado de forma e deixassem de pertencer aos meus. Como se agora estivessem moldados à imagem de outros lábios, uns lábios que se encaixariam perfeitamente nos seus. Uns lábios que não eram os meus. 
- Claro amor, fala. – Encostei-me a ele e meti o braço à volta da sua cintura, esperando que ele rodeasse os meus ombros com o seu, mas quando isso não aconteceu e ele se afastou de mim fiquei de rastos. 
- Talvez devêssemos dar uma volta pela floresta, pode ser?
Não lhe respondi, mas segui atrás dele até ao sítio onde tínhamos escrito os nomes um do outro numa árvore. Nada demasiado piroso com corações à volta. Apenas os nossos nomes. Cada um escreveu o nome do outro, mais nada. Sentou-se com as costas encostadas à árvore e segui-lhe o exemplo. O vento soprou na nossa direcção e eu arrepiei-me com o frio. 
Imediatamente, ele despiu o casaco e passou-mo pelos ombros, ficando apenas de T-shirt. 
- Assim vais morrer de frio! – Reclamei! – Estão 8 graus Celsius. És louco? – Disparei. – Eu já estou suficientemente agasalhada! 
- Cala-te e veste mas é o casaco. – A sua voz arrepiou-me ainda mais. Não era odiosa nem ríspida, mas também não era doce, quente e suave como estava habituada. Era fria e insensível. – Eu fico bem, acredita.
Segui as instruções como um cachorrinho bem treinado e esperei que ele começasse a falar. Demorou alguns minutos mas eventualmente respirou fundo e falou. 
- Sei que já ouviste falar das lendas da tribo. – Sim, já as conhecia como a palma da minha mão. Ele sabia que o meu pai e o meu avô me costumavam contar as lendas da tribo Quileute antes de me ir deitar. Ele sabia muito bem disso. – Bem, eu não sei como te deva dizer isto, mas todas essas lendas são reais. 
Fiquei a olhar para ele com cara de parva a tentar descobrir se ele estava a gozar comigo ou esperava seriamente que eu acreditasse no que me estava a dizer. Porque muito sinceramente, a única pessoa que me tinha dito aquilo com tamanha convicção tinha sido o meu avô e era sabido que ele tinha sérios problemas com alucinações. 
De repente comecei a rir-me.
- Meu Deus! – Disse por entre gargalhadas. – Eu… eu… eu achava que ias acabar comigo… - era difícil falar por entre tanto riso – … e afinal é só para me dizeres que te tens andado a drogar! – Finalmente consegui parar. – O que é que andas a tomar? Sabes que essas coisas são perigosas!
Ele continuava a olhar para mim com o olhar mais sério do mundo e com dor estampada nos seus olhos. 
- Leah, não estou a dizer nenhuma piada. É a mais pura das verdades. – Quando não disse nada ele continuou. – Os vampiros existem realmente e a razão de ser da tribo é proteger os humanos desses monstros. – Continuei sem falar. Estava sem palavras. – E a história de nos transformarmos em lobos, é verdade. Os homens da nossa tribo, quando chegam a uma determinada idade, começam a sofrer alterações, até que se transformam. 
Senti o meu queixo descair até ao chão. 
- Só podes estar a gozar. – Suspirei. – Porque é que me estás a contar isso? – Perguntei. 
- Por três razões. A primeira é que eu sou o primeiro da nossa geração a transformar-se, e que o Jacob, o Quil, o Paul, o Jared, e daqui a uns anos mesmo o Seth se transformará. – Continuei de boca aberta. – A segunda é que quero manter-te a salvo dos Cullen.
- Os Cullen? – Perguntei. – Eles? Vampiros?
- Sim, e eles não se podem aproximar da reserva, desde que te mantenhas longe do lado deles da floresta deves estar bem, mas quando estás em Forks tens de saber que é território neutro e embora eles não te possam fazer mal sem provocar uma guerra, deves manter-te o mais afastada quanto possível. 
- E a terceira…?
- A terceira é a parte pela qual me vais odiar. – Ele respirou fundo.
- Porquê?
- Porque tive a minha impressão natural.
- Im…. Im… impressão natural? – Fiquei perplexa e ao aperceber-me do que isso queria dizer as lágrimas começaram a cair-me dos olhos. – Isso é… é… aquela coisa do amor à primeira vista não é? – As lágrimas caíam descontroladamente pelas minhas bochechas e eu detestava isso. 
- É… - Olhei para ele. Não conseguia ver muito bem porque as lágrimas nos olhos me desfocavam a visão, mas conseguia ver o seu olhar de culpa enquanto me abraçava. – Desculpa, Leah. Lamento imenso…
- Quem é ela…? – Funguei.
- É… a Emily.
***
Aquela recordação foi o fim, já não aguentava mais e acabei por me transformar. 
O Jake largou-me a tempo de não ficar ferido, mas ainda caiu de rabo no chão. Assim que me transformei voltei a sentir os cérebros fervilhantes dos outros membros da alcateia. O Paul começou logo a espicaçar. 
“Então miúda, mais calma ou ainda a sofrer de SPM?”
“Vais te calar?” Rugi. Ele calou-se de imediato e aí mesmo reparei que os nomes ainda estavam gravados no tronco da árvore.
Rosnei e lancei as unhas à casca da árvore, despedaçando-a e deixando a seiva a escorrer pelo tronco abaixo. 
Levei uns bons minutos a acalmar-me e quando finalmente voltei à minha forma humana o Jacob ficou a olhar para mim espantado. Só quando ele me olhou de alto a baixo é que me apercebi que estava ali em frente a ele. Completamente nua!
Apressei-me a esconder atrás da árvore mais próxima. Nunca deixava que os rapazes da alcateia me vissem assim. Era por isso que me transformava sempre bem longe deles. 
Senti as bochechas a aquecer e percebi que estava a corar. “É só o que mais me faltava!” Pensei. Ele aproximou-se um pouco, muito lentamente, sem mudar o ângulo entre nós para que não visse nada que eu não quisesse que ele visse. 
- Se é que isso serve de alguma coisa, és linda. Não precisas de te esconder, e acredito que daqui a pouco tempo vais encontrar alguém que te ama e vais esquecer o Sam por completo. 
Afastei-me um pouco da árvore. Ele desviou o olhar. Não era a única que estava envergonhada. Ao menos isso. 
- A sério?
- Claro, e daqui a uns tempos tens a tua impressão natural e nunca mais te vais lembrar disto! Vais ver que te vais rir destas coisas! 
- Eu estava a falar de dizeres que eu era bonita…
- Oh! – Ele começou a gaguejar. – S…Sim! C…claro! És lindíssima!
Aproximei-me dele, peguei-lhe o queixo e dirigi os meus lábios aos dele. Eram quentes, suaves e húmidos. Fantásticos. Ele abraçou-me embora muito levemente, com medo do que o facto de eu estar totalmente despida tornasse o gesto impróprio. 
Pouco tempo depois ele afastou-se.
- Desculpa, desculpa, lamento. Isto não está certo. 
- Vamos fugir. Os dois. Formamos uma nova alcateia longe daqui! Eu esqueço o Sam e tu esqueces a Bella! E tu podes passar a ser o Alpha, como está destinado! 
- Leah, neste momento, se estivermos separados da alcateia ficaremos em perigo! E eu amo a Bella e tenho hipóteses com ela! Ninguém pode saber o que aconteceu! 
- Ela nunca te vai escolher Jacob! Ela ama o Edward! Nunca o vai deixar! – Exclamei. – E para além disso achas que a alcateia toda não vai saber disto? E tu vais continuar a sofrer por causa dela e eu por causa do Sam até encontrar-mos alguém! E se não encontrar-mos a nossa impressão aqui? 
- Acalma-te. Vamos os dois conhecer alguém. Não te preocupes. E a alcateia fica calada se pedir-mos. – Ele afastou-se e voltou a desviar o olhar do meu corpo. – Até lá isto nunca aconteceu.
- Pois. Nunca aconteceu…

Espero que gostem, Rita

sexta-feira, 15 de abril de 2011

I FEEL LIKE...

DANCING!
Às vezes (leia-se frequentemente) apetece-me andar pelo quarto a dançar feita maluca. Especialmente assim em dias de mais calorzito, quando estou sem vontade de fazer nada, e simplesmente não me apetece pensar em algo que continua insistentemente a tentar penetrar a minha barreira mental.
É que é o remédio ideal para deixar de pensar. Deve ser porque os pobres dos neurónios são agitados por demais. Deixam de possuir a brilhante capacidade de ser estimulados por memórias irritantes. Já nem me aborreço a fechar as cortinas e a baixar os estores. Os vizinhos da frente já devem estar habituados.
É algo mais ou menos assim:
Aconselho-vos a tentar... 
Mas, se o fizerem roupas menores, aí sim aviso para fecharem as cortinas.
...Ou Não ;)
I FEEL LIKE DANCING, DANCING! Rita

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Últimos dias de Aulas (Música da Semana #18)

Quando se passam vinte e uma horas acordado/a passam-se por vários estados:
Mais ou menos quando se chega à hora 12, começa-se a sentir cansaço e pensa-se "Ai que ainda tenho tantas mais horas pela frente."
Entre as 15 e as 18 só se pensa no quão cansado/a se está.
Entre a hora 20 e meio e 21 é o período em que não se consegue ver nada à frente e só se quer dormir.
Mas, entre a hora 18 e 20 existe uma janela de parvoíce e energia por demais.
 Eu só me lembro de pensar exactamente isto:

That's right Baby! I'LL SLEEP WHEN I'M DEAD!

Claro que isto é muito bonito enquanto dura,
Da vossa sonolenta,
RITA

Fééééééériaaaaaaas!!!!!!!!!


Já não me lembrava de como era bom ter mais de 15 minutos seguidos para ler!
Ou poder ver uma hora de TV sem ter livros ao colo!
Ou não ter de aturar stôras de Inglês que acham que sorry se escreve com apenas um "r"...

Estas férias estão a saber tão bem, mas mesmo tão bem que não quero que nunca mais acabem!
Alguém sabe como é que se envia uma carta de requerimento lá ao anjinho que toma conta dos dias e horas para lhe pedir com muito jeitinho se ele duplica estes dias de férias?

Beijocas a todos os que estão de férias e para os que não estão, beijos e muita força; Rita

terça-feira, 12 de abril de 2011

Ah, Finalmente! =D

Digam lá vá... já estávamos a precisar de uma mudança!
De um ponto de viragem, do inicio de um novo capitulo, de algo que nos tirasse do passado e nos fizesse sonhar quanto ao futuro.
Ai, ai.... O bom tempo já chegou =D e ainda bem.
Que saudades eu já tinha de isto, e nada melhor para comemorar a sua chegada do que ir para o Algarve!!!!
Vai me saber mesmo bem estes dias, depois de um período a trabalhar no duro, mereço.
Espero que aproveitem também vocês as vossas férias, caso estejam em férias, senão, aproveitem o bom tempo para sairem do stress do Inverno, para passear e fazer novos planos para os tempos que se avizinham... que ao contrário do que o Senhor Sócrates pensa, não vão ser bons.
Mas enfim -.- desgraças noutra altura, hoje não.








Ass: Marta

sexta-feira, 8 de abril de 2011

"Putos" Com Bom Gosto :P


Johnny Depp: Favourite Movie Actor Kids Choice Awards 2011


Apenas para dizer que estou extremamente contente por saber que as gerações mais novas têm bom gosto :P

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Pág. A nossa leitura a nossa mente

Ok... confesso que ainda ando ás aranhas com o funcionamento da pág. mas a nossa pág. A nossa Leitura, a nossa mente, já lá tem um livro!!!!!!!!!!!!!!! Yeaaaaahhhh! =D


Ass: Marta

domingo, 3 de abril de 2011

Hipopoto...QUÊ?

Hipopotomonstrosesquipedaliofobia


Não se deixem enganar, não é uma espécie assassina e monstruosa derivada de hipopótamo.
Segundo a Wikipédia, esta doença psicológica é caracterizada por um medo irracional de se pronunciar palavras grandes e/ou complicadas...

Aposto que não sou a única a pensar nesta ironia...

Quando vi isto só me lembrei de uma cena mesmo linda:
"Médico: Então, dona Ana, de que é que a senhora sofre?
Dona Ana: H....ah...ah... AHHHHHHHHHHHHHHHHHH *foge a correr do consultório*"

É pá há cá com cada uma...

ass:Rita

sábado, 2 de abril de 2011

Música da Semana #17

Esta é a música que tenho estado a ouvir nas últimas duas semanas:



Descobri esta música através deste blog.
Já tinha ouvido um pouco, mas depois desliguei...
Ainda bem que o dono deste cantinho me relembrou da música, porque eu adorei...
Obrigada,

ass:Rita